A IVC INSPEÇÕES REALIZA OS SEGUINTES SERVIÇOS:
  • Inspeção de caldeiras e vasos de pressão para Atendimento a NR 13;
  • Serviços de Diligenciamento e Inspeção de Fabricação;
  • Elaboração e Montagem de Prontuário;
  • Reconstituição de prontuário;
  • Execução de testes de pressão;
  • Acompanhamento de ensaios não destrutivos;
  • Medição de espessura;
  • Execução de Cálculo da PMTA;
  • Reconstituição de prontuário;
  • Abertura de Livro de Registro de Segurança;
  • Execução de projeto de instalação;
  • Fornecimento de placas de identificação;
  • Qualificação técnica de fornecedores;
  • Qualificação de procedimentos de soldagem, soldadores e operadores;
  • Acompanhamento de testes mecânicos;
  • Fiscalização de construção e montagem.

 

 A NORMA REGULAMENTADORA NR-13

A Norma Regulamentadora Nº 13, também conhecida como NR-13, é uma norma do Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil, e tem como objetivo promover a segurança na fabricação, instalação, operação e manutenção de vasos de pressão e caldeiras.

A Norma foi criada em 8 de junho de 1978, sofrendo revisões pela portarias SSMT n.°2, de 8 de maio de 1984,SSMT n.°23, de 27 de dezembro de 1994 e pela Portaria SIT n.º 57, de 19 de junho de 2008.

O atendimento à Norma Regulamentadora NR-13 é condição legal para operação de Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações (conforme portaria Nº 594, de 28 de abril de 2014 do Ministério do Trabalho e Emprego) em toda e qualquer unidade industrial ou em outro ambiente.

A NR 13 é uma norma de caráter compulsório, tem força de lei e visa à proteção do trabalhador. Sua utilização é obrigatória para toda entidade e/ou instalação existente em território brasileiro. Ela estabelece responsabilidades e parâmetros relativos à instalação, segurança de operação, segurança na manutenção e inspeção de segurança de caldeiras e vasos de pressão.

 

 INSPEÇÃO DE VASOS DE PRESSÃO

Os vasos de pressão devem ser submetidos a inspeções de segurança inicial, periódica e extraordinária.

A inspeção de segurança inicial deve ser realizada em vasos novos, antes da sua entrada em funcionamento, no local definitivo da instalação, devendo ser realizada uma inspeção externa e inspeção interna, considerando algumas limitações citadas na NR-13.

A inspeção de segurança periódica deve ser realizada nos prazos estabelecidos pela NR-13 por ocasião da inspeção inicial e envolve a inspeção externa, inspeção interna, inspeção dos dispositivos de segurança e controle e análise da documentação incluindo relatórios anteriores, livro de registro de segurança, dados da placa de identificação, checagem da documentação e elaboração do relatório de inspeção de segurança inicial ou periódica.

 

 INSPEÇÃO DE CALDEIRAS

As caldeiras devem obrigatoriamente ser submetidas a teste hidrostático em sua fase de fabricação, com comprovação por meio de laudo assinado por Profissional Habilitado, e ter o valor da pressão de teste afixado em sua placa de identificação.

Na falta de comprovação documental de que o teste hidrostático tenha sido realizado na fase de fabricação, a critério do Profissional Habilitado, o teste hidrostático deve ser realizado na próxima inspeção periódica.

A inspeção de segurança inicial deve ser feita em caldeiras novas, antes da entrada em funcionamento, no local de operação, devendo compreender exame interno, seguido de teste de estanqueidade e exame externo. Não é mais necessário realizar teste de acumulação e teste hidrostático (a não ser que não tenha sido realizado na fabricação).

Estão dispensadas de realizar mensalmente o acionamento manual da alavanca da válvula de segurança, em operação, as caldeiras das categorias B e C que vaporizem fluido térmico e as que trabalhem com água tratada.

 

 INSPEÇÃO DE TUBULAÇÕES

As empresas que possuem tubulações e sistemas de tubulações enquadradas nesta NR devem possuir um programa e um plano de inspeção que considere, no mínimo, as variáveis, condições e premissas descritas abaixo: (Vide prazo na Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014)

  1. a) os fluidos transportados;
  2. b) a pressão de trabalho;
  3. c) a temperatura de trabalho;
  4. d) os mecanismos de danos previsíveis;
  5. e) as consequências para os trabalhadores, instalações e meio ambiente trazidas por possíveis falhas das tubulações.

As tubulações ou sistemas de tubulação devem possuir dispositivos de segurança conforme os critérios do código de projeto utilizado, ou em atendimento às recomendações de estudo de análises de cenários de falhas.

As tubulações ou sistemas de tubulação devem possuir indicador de pressão de operação, conforme definido no projeto de processo e instrumentação.

Todo estabelecimento que possua tubulações, sistemas de tubulação ou linhas deve ter a seguinte documentação devidamente atualizada:

  1. a) especificações aplicáveis às tubulações ou sistemas, necessárias ao planejamento e execução da sua inspeção; (Vide prazo na Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014)
  2. b) fluxograma de engenharia com a identificação da linha e seus acessórios;
  3. c) PAR em conformidade com os itens 13.3.6 e 13.3.7;
  4. d) relatórios de inspeção

Os documentos quando inexistentes ou extraviados, devem ser reconstituídos pelo empregador, sob a responsabilidade técnica de um PH.

A documentação referida no deve estar sempre à disposição para fiscalização pela autoridade competente do Órgão Regional do Ministério do Trabalho e Emprego, e para consulta pelos operadores, pessoal de manutenção, de inspeção e das representações dos trabalhadores e do empregador na Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA, devendo, ainda, o empregador assegurar o acesso a essa documentação à representação sindical da categoria profissional predominante no estabelecimento, quando formalmente solicitado.

 

 RECONSTITUIÇÃO DE PRONTUÁRIOS DE VASOS DE PRESSÃO

Toda vaso de pressão e caldeira deve possuir o prontuário, a ser fornecido pelo fabricante ou reconstituído por profissional habilitado (PH) contendo no mínimo as seguintes informações:

  1. a) código de projeto e ano de edição,
  2. b) TAG e categoria do vaso,
  3. c) características funcionais e ano de fabricação,
  4. d) conjunto de desenhos e demais dados necessários para monitoramento da sua vida útil (desenho conjunto, desenho de detalhes, mapa de solda, conexões, suportes, etc),
  5. e) memória de cálculo (determinação da PMTA),
  6. f) dados dos dispositivos de segurança,
  7. g) procedimentos utilizados na fabricação (EPS, RQPS, Qualificação de Soldadores/Operadores, tratamento térmico, teste hidrostático),
  8. h) especificação dos materiais.

 

 INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO E DILIGENCIAMENTO

A IVC Inspeções realiza a inspeção de fabricação e diligenciamento de caldeiras e vasos de pressão envolvendo uma série de atividades que visam garantir a entrega dos equipamentos no prazo pelos fornecedores, mas também garantir que esses produtos estejam em conformidade com as especificações de projeto aprovadas pelo cliente conforme especificado em contrato.

O acompanhamento da fabricação é realizado através de visitas periódicas ao fornecedor, onde é realizada a avaliação da capacidade do fornecedor em fabricar o equipamento obedecendo todas as normas de projeto, com qualidade assegurada e dentro do prazo estabelecido no plano de inspeção. .  

A inspeção de fabricação e diligenciamento garante o atendimento ao cronograma e liberação para embarque dentro do prazo contratual, monitorando o status de fabricação, follow-up de documentação técnica, verificação do progresso físico das etapas e de possíveis causas de atrasos.

As atividades compreendem a análise da documentação do databook de fabricação incluindo planos de inspeção, documentação de soldagem, ensaios não destrutivos, testemunhos de ensaios, análise de documentação de Projeto, engenharia, materiais, fabricação, Inspeção e Testes, análise do databook, embalagem e embarque.

 

 ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS

A IVC Inspeções atua em várias modalidades de ensaios não destrutivos, tais como: ensaio por ultrassom, ensaio por líquido penetrante e ensaio por partículas magnéticas.

As inspeções são extremamente necessárias para garantir que os equipamentos permaneçam seguros e não se torne a causa de uma despesa desnecessária. Quando bem planejadas e executadas, fornecem dados importantes sobre as condições de vida dos equipamentos e evita paradas, comprometendo a segurança.

Com um histórico de importantes serviços prestados a grandes organizações empresariais em todo território nacional, a IVC Inspeções acompanha as tendências do mercado atendendo às necessidades e estabelecendo importantes parcerias com seus clientes . Deste modo está em constante modernização, apresentando sempre as tecnologias mais avançadas em suas áreas de atuação para garantir a satisfação dos clientes e a excelência dos serviços prestados.

  • Ensaios por Ultrassom - O ensaio por ultrassom tem por objetivo a detecção de defeitos ou descontinuidades internas, presentes nos mais variados tipos ou forma de materiais ferrosos ou não ferrosos. 
  • Ensaios por Líquido penetrante - O ensaio por líquidos penetrantes é empregado para detecção de descontinuidades superficiais e que sejam abertas a superfície. Podendo ser aplicado em todos os materiais sólidos e que não sejam porosos.
  • Ensaios por Partículas magnéticas - O ensaio por partículas magnéticas é utilizado na localização de descontinuidades superficiais e subsuperficiais em materiais ferromagnéticos.
  • Exame de estanqueidade (pressão negativa/positiva) plana e angular - O ensaio de estanqueidade é utilizado na localização de descontinuidades passantes em fundos de tanques de armazenamento.
  • Exame de videoscopia (boroscopia) - O exame de videoscopia é utilizado na inspeção interna de tubulações e vasos de pressão que não possui acesso para inspeção interna.
  • Exame de Medição de espessura - O exame de medição de espessura é utilizado para detectar a redução de espessura durante a vida útil do equipamento.

 

 INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO E DILIGENCIAMENTO

A IVC Inspeções realiza a inspeção de fabricação e diligenciamento de caldeiras e vasos de pressão envolvendo uma série de atividades que visam garantir a entrega dos equipamentos no prazo pelos fornecedores, mas também garantir que esses produtos estejam em conformidade com as especificações de projeto aprovadas pelo cliente conforme especificado em contrato.

As atividades de acompanhamento de fabricação de caldeiras e vasos de pressão incluem a verificação do atendimento ao cronograma e prazo de entrega contratual, levantamento do status atual de fabricação, follow-up de documentação técnica, verificação do progresso físico das etapas e de possíveis causas de atrasos, garantindo a entrega de materiais e equipamentos nos prazos contratuais.

O acompanhamento da fabricação é realizado através de visitas periódicas ao fornecedor, onde é realizada a avaliação da capacidade do fornecedor em fabricar o equipamento obedecendo todas as normas de projeto, com qualidade assegurada e dentro do prazo estabelecido no plano de inspeção. .  

A inspeção de fabricação e diligenciamento garante o atendimento ao cronograma e liberação para embarque dentro do prazo contratual, monitorando o status de fabricação, follow-up de documentação técnica, verificação do progresso físico das etapas e de possíveis causas de atrasos.

As atividades compreendem a análise da documentação do databook de fabricação incluindo planos de inspeção, documentação de soldagem, ensaios não destrutivos, testemunhos de ensaios, análise de documentação de Projeto, engenharia, materiais, fabricação, Inspeção e Testes, análise do databook, embalagem e embarque.

 

 AVALIAÇÃO DE INTEGRIDADE DE EQUIPAMENTOS

  • Inspecionar as regiões mais críticas do equipamento para determinar a existência ou não de trincas, fissuras, rupturas e outros danos que possam colocar em risco a segurança humana e do equipamento.
  • Ter um panorama do estado do equipamento após o número de horas trabalhadas, nas condições de variação cíclica a que é submetido.
  • Avaliar as necessidades de reparos imediatos aos danos encontrados ou a coexistência controlada com os mesmos, desde que com coeficientes de riscos minimizados.
  • Elaborar projeto de alteração e reparo em casos onde houver necessidade de intervenções com soldas, e acompanhar os serviços de soldagem do equipamento.
  • Providenciar a solicitação de documentos de manutenção e operação, inclusive certificados de qualificação de soldadores, certificados de análise de materiais e consumíveis utilizados nos serviços de soldagem.
  • Permitir um trabalho de acompanhamento futuro da evolução do estado de danos, através de inspeções periódicas.

 

 TANQUES DE ARMAZENAMENTO

  • Inspeção geral externa, costado, fundo e teto;
  • Inspeção geral interna, costado, fundo e teto;
  • Enquadramento nas normas aplicáveis;
  • Teste de estanqueidade (pressão negativa/positiva) plana e angular
  • Recálculo de espessura mínima requerida conforme API;
  • Medição de espessura por ultrassom;
  • Ensaios não destrutivos;
  • Emissão de relatório final com registro fotográfico digitalizado.